Abusada pelo pai e depois pelo marido, moradora de Louveira escreve livro de superação
Conecte-se conosco

Louveira

Abusada pelo pai e depois pelo marido, moradora de Louveira escreve livro de superação

Ela sofreu abusos por 40 anos da sua vida e decidiu escrever um livro para ajudar outras mulheres que passam pelo mesmo

Publicado

em

Atualizado há

Abusada pelo pai e depois pelo marido, moradora de Louveira escreve livro de superação
Elenice com o seu livro "Cale-se" (Fotos: Arquivo Pessoal)

As notícias sobre feminicídio, violência contra as mulheres e abuso ou assédio sexual são constantes nos noticiários brasileiros. De acordo com a Organização das Nações Unidas (ONU), o Brasil ocupa o quinto lugar no ranking mundial de feminicídio. Dados da Organização Mundial da Saúde (OMS) apontam que o número de assassinatos chega a 4,8 para cada 100 mil mulheres.

A moradora de Louveira, Elenice Dias da Silva, de 51 anos, poderia ter entrado nas estatísticas, mas se tornou uma sobrevivente após 40 anos de abusos, que começaram com o seu pai e continuaram com o seu ex-marido. Todo o seu sofrimento, sua luta e coragem para conseguir sair dessa situação estão em seu livro, “Cale-se”, lançado neste ano com o intuito de ajudar outras mulheres que passam pela mesma situação.

“Esse livro surgiu depois de muito sofrimento. Como eu não tinha a minha própria identidade antes, eu precisava expor e colocar para fora tudo que fui proibida de contar. Além disso, todos os dias vejo histórias de mulheres mortas, notícias sobre feminicídio, sobre pedofilia. Isso dói dentro de mim”, conta Elenice.

Tudo começou, segundo a autora, quando ela ainda tinha cinco anos de idade. Natural de Claros dos Poções, interior de Minas Gerais, começou a trabalhar como doméstica com essa idade. A partir dos sete vieram os primeiros abusos por parte do seu pai. “Ele me abusava dentro da minha própria casa, se é que eu poderia chamar aquilo de casa”, relembra.

Eram cinco filhas e cinco filhos. Elenice diz que as filhas mulheres sempre iam embora logo que cresciam um pouco mais, mas ela nunca entendia. Seu pai então faleceu e, pouco tempo depois, sua mãe teve um derrame. Mesmo com a pouca idade, era ela quem cuidava da mãe, em uma situação de vida precária por conta da pobreza.

Foi então que uma professora da cidade, vendo a situação precária em que Elenice e sua mãe viviam, decidiu tentar entrar em contato com alguns dos seus irmãos mais velhos. E foi então que, com 10 anos, delas vieram para o interior de São Paulo, onde morava um dos irmãos. Finalmente em um novo lugar, com uma nova vida, Elenice não esperava que mais abusos estariam por vir: aos 12 anos, sua cunhada decidiu negociá-la e a vendeu para um homem, hoje seu ex-marido.

“Ele me comprou com cheques, fui comercializada. E os abusos foram desde o começo. A noite de núpcias foram três noites e três dias de pura violência. No começo ele me trancava e levava a chave quando ia sair. No início eu ainda não menstruava, era uma criança, e apanhava porque não dava um filho para ele”, relembra.

Os filhos e a libertação

Os abusos psicológicos e físicos permaneceram, por 30 anos. A sua força, conta ela, eram seus filhos: foram três, dois meninos e uma menina. “Eu nasci para ser mãe”, relata. No entanto, quando seu filho mais velho completou 19 anos, veio o baque: ele foi diagnosticado com leucemia e faleceu ainda na primeira quimioterapia.

“Eu fiquei seis meses lendo alguns livros para entender o que era a morte, fiquei praticamente dentro de um casulo. Perder e enterrar o Rodrigo [filho mais velho], foi como enterrar grande parte da minha vida. Depois desses meses eu saí do casulo. Eu não morri junto com ele, vi que meus outros dois filhos necessitavam de mim. Eu comecei a me tornar então uma pedra bruta, no sentido de que ‘o que não te mata, te fortalece’. Eu comecei a ver que tinha força”, conta.

Foi então, motivada por sua filha mais nova, na época com 14 anos, que Elenice decidiu ir atrás de uma advogada. Seu principal medo era perder a guarda da sua filha, mas a advogada disse que ela continuaria com a mãe. Aí, a força para buscar o divórcio foi ainda maior.

Para se virar com a nova vida, por muito tempo ela guardou uma quantia escondida, que ganhava do seu serviço como doméstica. Até que um dia seu ex-marido descobriu sua conta e roubou todo o dinheiro. Ouviu do ex marido, ainda, quem quer que seja que saísse daquela casa, só sairia dentro de um caixão. Foi então que ela decidiu abrir um boletim de ocorrência.

“Já procurei um lugar para ficar por um tempo, contratei o caminhão de mudança e a polícia foi até minha antiga casa. Enquanto eu pegava algumas trouxas, eu tinha um fone no ouvido para não ouvir a voz dele. Eu tive uma força que não era minha. Eu tremia o tempo todo enquanto juntava minha coisas. Mas eu consegui sair de lá”, relembra.

Após isso, as ameaças foram constantes e ela quase foi mais uma vítima de feminicídio. Elenice entrou com a Lei Maria da Penha e, hoje, seu ex-marido não pode chegar perto dela, por conta de uma medida judicial. E, após tantos anos de sofrimento, hoje ela finalmente se considera livre e, além do livro lançado, também realiza palestras para ajudar outras mulheres que passam pelo mesmo.

Para essas mulheres, a mensagem é uma só: encarar o medo. “A mensagem que eu passo é que o medo é só um obstáculo, você pula por cima dele. O medo é o meu pior inimigo se eu deixar ele tomar conta. Enfrenta, grite, denuncie! Se levantou a mão pra você um dia, depois ele levanta uma faca, um revólver. Não continue ao lado de uma pessoa que verbalmente te agride todos os dias, muito menos aquele que te agride fisicamente”, finaliza.

A história completa pode ser lida em seu livro, que está sendo vendido virtualmente no site da Livraria Plena Cultura, ao preço de R$ 39,90, neste link.

Louveira

Louveira: Quedas de bezerro, boi e 2 vacas em piscina mobilizam Bombeiros

A operação com seis bombeiros para resgatar todos os animais durou quase três horas.

Publicado

em

Animais caem na piscina e Louveira
Bezerro e adultos bovinos caíram em piscina na zona rural de Louveira (Foto: Corpo de Bombeiros)

As quedas de um bezerro, duas vacas e um boi na piscina de um imóvel em uma chácara de Louveira, na tarde desta quinta-feira (21), mobilizaram o Corpo de Bombeiros de Vinhedo. "Conseguimos encontrar um portão do vizinho, que estava aberto e provavelmente é de lá e tinha pegadas do gado passando por ali. Então, ele não tinha onde tomar água, viu…

Continuar lendo

Louveira

Acesso da rodovia Romildo Prado de Louveira passa por melhorias a partir desta quinta (21)

Obras na região deverão ser concluídas no prazo de sete dias e movimentos de acesso e saída da rua Catharina Calssavara Caldana serão preservados

Publicado

em

Rodovia Romildo Prado, em louveira
O investimento total da Concessionária é de R$ 22,6 milhões (Foto: Divulgação / Rota das Bandeiras)

A Concessionária Rota das Bandeiras, empresa responsável pela administração do Corredor Dom Pedro de rodovias, inicia na nesta quinta-feira (21), mais uma etapa das obras de implantação de faixas adicionais e remodelação de dispositivos da rodovia Romildo Prado (SP-063), em Louveira, com as intervenções para melhoria no acesso da rodovia à rua Catharina Calssavara Caldana, que reúne importantes polos geradores…

Continuar lendo

Louveira

Rota das Bandeiras faz nova alteração em acesso à Rodovia Romildo Prado, em Louveira

Acesso à região da Abadia será interditado para prosseguimento das obras de implantação de faixas e remodelação de dispositivos da rodovia

Publicado

em

Por

Foto: Divulgação / Rota das Bandeiras

A Concessionária Rota das Bandeiras, empresa responsável pela administração do Corredor Dom Pedro de rodovias, fará uma nova alteração de tráfego na rodovia Romildo Prado (SP-063), em Louveira, a partir da próxima segunda-feira (14), a fim de prosseguir com a obra de implantação de faixas adicionais e de remodelação de dispositivos. O acesso ao bairro da Abadia será modificado, com…

Continuar lendo

Louveira

Louveira pode adotar medidas restritivas contra covid-19

O prefeito do município, Estanislau Steck, ainda fez um apelo à população, para que completem o esquema vacinal

Publicado

em

Por

Foto: Reprodução/Facebook

Com 130 casos de covid-19 foram confirmados nas últimas 24 horas, e o surto da síndrome gripal, o prefeito de Louveira, Estanislau Steck, anunciou nesta sexta-feira (7), que a cidade deverá adotar novas medidas restritivas em breve, assim como o município de Amparo, já que o sistema unificado de saúde tem estado sobrecarregado. Em vídeo publicado nas redes sociais, o…

Continuar lendo

Louveira

Campanha de Combate à Pobreza Menstrual em Louveira é instituída pela Câmara Municipal

A campanha deverá ser promovida anualmente na última semana de maio

Publicado

em

Por

Foto: Freepik

Os vereadores de Louveira Fabio Borriero (PDT) e Priscilla Finamore (PTB) apresentaram, na noite desta quinta-feira (30), o projeto de Lei que cria a Campanha de Combate à Pobreza Menstrual, com objetivo de conscientizar a população sobre os sérios problemas da pobreza menstrual, onde meninas e mulheres em situação vulnerável não têm acesso a banheiros, saneamento básico e nem condições…

Continuar lendo