Desenvolvimento sustentável e o elo com as Engenharias
Conecte-se conosco

Meio Ambiente

Desenvolvimento sustentável e o elo com as Engenharias

Futuro das cidades passa pela adoção de alternativas verdes já no planejamento.

Publicado

em

Atualizado há

Foto: Crea-SP

Em tempos de governança ambiental, social e corporativa ou ESG (sigla em inglês para Environmental, social and corporate governance), a sustentabilidade tem sido praticamente obrigatória às tomadas de decisão dos setores público e privado. É em meio a este ambiente de urgência por soluções para os principais desafios da sociedade, como as emergências climáticas, o crescimento populacional e a alta demanda alimentar, e motivado pelo espírito de inovação para geração de valor com menor impacto global que nasce também o conceito de cidades inteligentes.

A junção entre os pilares da sustentabilidade e do desenvolvimento recai especialmente sobre uma área profissional: a tecnológica, envolvendo a participação de engenheiros, agrônomos, geocientistas e tecnólogos no chamado desenvolvimento sustentável. Isso porque, de acordo com a Eng. Agr. Waleska Del Pietro, coordenadora da Comissão de Meio Ambiente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo (Crea-SP), não existe cidade inteligente que não seja sustentável.

“Quando se fala em cidades inteligentes, as pessoas ainda têm a percepção de que se trata de cidades do futuro, onde tudo é digitalizado. Mas, no Brasil, antes de ter a conectividade como ponto de partida, é preciso olhar para os muitos problemas que existem, como as questões de infraestrutura, habitação e transportes, por exemplo, que só as cidades inteligentes e planejadas a partir da visão técnica dos profissionais da área tecnológica podem resolver”, afirma a especialista.

Para isso, ela defende que o desenvolvimento sustentável deve ser baseado em três aspectos principais: econômico, social e ambiental. “Isso tanto nos órgãos públicos quanto no setor privado, passando também pelo campo, que é o complemento da cidade”, argumenta. O desafio de tornar os espaços urbanos e rurais eficientes nessas frentes requer planejamento, políticas públicas e a troca das práticas convencionais por alternativas verdes capazes de atender à sociedade como um todo.

Matrizes de energia renovável, melhoria no transporte público, veículos elétricos, implantação de sistemas de saneamento 100% para as 35 milhões de pessoas que ainda vivem sem água tratada no País e às 100 milhões que não têm acesso à coleta de esgoto, segundo dados da 14ª edição do Ranking do Saneamento, do Instituto Trata Brasil, são algumas das práticas positivas.

Em se tratando de São Paulo, uma iniciativa que auxilia a implementação de tais ações de desenvolvimento sustentável é o Programa Município VerdeAzul (PMVA), lançado em 2007 pelo governo estadual com o objetivo de apoiar as cidades paulistas. O PMVA descentralizou a gestão ambiental e criou um ranking que pontua os melhores desempenhos. O município tem 10 diretivas envolvendo todas as questões de sustentabilidade para estar no programa.

São elas: município sustentável, estrutura e educação ambiental, conselho ambiental, biodiversidade, gestão das águas, qualidade do ar, uso do solo, arborização urbana, esgoto tratado e resíduos sólidos. “O estado capacita os líderes das cidades para que eles consigam auxiliar no desenvolvimento. Eu fui interlocutora do Programa no meu município, em São Pedro, e conseguimos elevar a nota da cidade de 5 para 65 em dois anos”, conta a engenheira.

“E é fundamental ter, cada vez mais, profissionais técnicos das Engenharias, Agronomia e Geociências participando para tornar o planejamento efetivo. Isso faz parte da transformação das cidades para versões mais inteligentes e sustentáveis. Sem isso não é possível metrificar as ações para que se tornem realidade”, complementa.

O Crea-SP e as entidades de classe atuam com o mesmo propósito, buscando oferecer as
ferramentas para que esses profissionais sigam se aprimorando. As plataformas do Conselho do Crea-SP Capacita e do CreaLab são duas frentes de constante produção de conhecimento da área tecnológica. Nas associações, cursos, palestras e workshops são opções para quem procura uma qualificação específica em outros formatos.

Meio Ambiente

Mudanças climáticas elevam risco de desastres em 1.942 cidade brasileiras

Estudo revela áreas de risco, histórico de tragédias e ações do governo para mitigar impactos.

Publicado

em

Moradores de áreas de risco enfrentam a vulnerabilidade diante de desastres ambientais cada vez mais frequentes. (Foto: Gustavo Mansur/Palácio Palatini)

Aumento dos desastres ambientais Com a intensificação das mudanças climáticas provocadas pela ação humana no meio ambiente, os desastres ambientais e climáticos têm aumentado em todo o mundo. No Brasil, o governo federal identificou 1.942 municípios suscetíveis a desastres associados a deslizamentos de terras, alagamentos, enxurradas e inundações, o que representa quase 35% do total dos municípios brasileiros. O Cenário…

Continuar lendo

Meio Ambiente

Parceria entre Coca-Cola e Tera Ambiental transforma resíduos industriais em fertilizantes em Jundiaí

O Dia Mundial da Reciclagem, celebrado em 17 de maio, destaca o crescente foco das empresas no desenvolvimento sustentável

Publicado

em

Foto: Divulgação

O Dia Mundial da Reciclagem, celebrado em 17 de maio, destaca o crescente foco das empresas na economia circular e o desenvolvimento sustentável. Uma parceria importante nesse sentido é a da Coca-Cola FEMSA Brasil e da Tera Ambiental, que convertem os resíduos gerados da produção de bebidas em fertilizantes orgânicos compostos. Esse tipo de compromisso com a sustentabilidade reflete uma…

Continuar lendo

Meio Ambiente

‘Reuso da água’ é tema de seminário técnico para o setor industrial da região de Jundiaí

O objetivo do seminário técnico é apresentar soluções e tecnologias para produção de água de reuso por meio do tratamento dos efluentes. Saiba mais.

Publicado

em

Por

O evento acontecerá no dia 23 de maio, às vésperas do Dia da Indústria (25) (Foto: Freepik / imagem gerada por IA)

No dia 13 de junho, o Grupo Opersan realizará o seminário técnico Conexão Opersan, voltado para o setor industrial da região de Jundiaí e Campinas. O objetivo é apresentar soluções e tecnologias para produção de água de reuso através do tratamento dos efluentes. O seminário é direcionado a profissionais e gestores das indústrias de artefatos de borracha, agroindústria, automotiva, química,…

Continuar lendo

Meio Ambiente

Olhos da Serra: 2ª fase fortalece projetos e aumenta área mapeada da Serra do Japi

Publicado

em

Por

Vânia Plaza Nunes, superintendente da Fundação Serra do Japi, reforça a importância do projeto (Foto: Prefeitura de Jundiaí)

A 2ª fase do “Olhos da Serra”, que tem como objetivo a conservação de mais de 2 mil hectares da Serra do Japi, foi concluída nesta quinta-feira (21) com projetos de educação ambiental e monitoramento fortalecidos. O trabalho é realizado com ações de mapeamento de satélite, monitoramento por câmeras e placas de sensibilização e conscientização espalhadas por pontos estratégicos da…

Continuar lendo

Meio Ambiente

Nova onda de calor deve atingir o Brasil na próxima semana, com previsão de ‘dias escaldantes’

Esta é a terceira onda de calor no país em 2024; confira qual a previsão para Jundiaí

Publicado

em

Por

Foto: Canva

Após a breve passagem de uma frente fria pelas regiões Sul e Sudeste, uma nova onda de calor deve atingir o Brasil nos próximos dias, a terceira deste ano. A perspectiva é de que as temperaturas fiquem até 5ºC acima da média em algumas regiões do país, entre os dias 11 e 15 de março. Segundo informa o Climatempo, o…

Continuar lendo